Menu fechado

Atitude Ética

A atitude de um pensamento ético requer os elementos básicos que são a liberdade e a responsabilidade. Para que exista, ação moral é necessário que juntamente com a ação voluntária (liberdade de vontade) exista uma escolha (liberdade de escolha ou livre-arbítrio). A liberdade não é uma questão física de ir e vir, mas uma questão moral, por esta estar intrínseca à ação moral, portanto não existe moral sem liberdade. A liberdade ética refere-se à capacidade do ser humano, de assumir a direção da sua vida, de exercer essa capacidade de forma concreta, realizando essas atitudes como homem livre,e, como tal, um sujeito ético. É a responsabilidade da autodeterminação que introduz a questão ética em tudo aquilo que diz respeito ao homem. A pessoa é livre e responsável pelos seus atos, portanto sua liberdade termina quando começa a do outro, ou seja, nasce o respeito pelo processo e liberdade de ação do outro.

A liberdade moral é a possibilidade de exercer uma ação moral. Ela refere-se diretamente a atitude e o comportamento que contribua para o crescimento verdadeiro da pessoa, agrega diretamente a favor do bem ou da verdade, por meio do qual só é possível se ter através da liberdade. A verdade orienta a liberdade, encaminha à plenitude, permite a convivência humana pelo bem. O autor voluntário e provido de sua ação livre é responsável pelo bem próprio e comum, pois é próprio do homem agir deliberadamente. Essa ação pode ser consciente ou inconsciente, portanto quando se está consciente dos atos desrespeitamos a ética moral, quando agimos de forma inconsciente, por influência do meio, sem ter conhecimento, reagimos, então não somos diretamente culpados pelo resultado das ações. Estamos no processo de aprender para ter consciência para poder depois, com o conhecimento adquirido, agir de forma ética, com respeito.

O homem nasceu para ser feliz e luta para alcançar a felicidade durante toda a sua vida. Aqueles que não encaram essa verdade de frente tendem a fugir de si mesmos, num processo que pode adotar diversas fisionomias, como personagens ilusórios do que gostariam de ser, mas não o são; enfim, fogem de inúmeras maneiras para não confrontarem frente a frente consigo mesmo, para não ter que perguntar, ainda que sem palavras: “sou um ser feliz?”. Essa situação de fato só o conduz para a infelicidade, porque ao criar estes personagens ilusórios a pessoa tenta compensar o seu vazio interior, o que só contribui para o seu aprisionamento e consequentemente o distanciamento da felicidade. Essas mitificações, projeções e ilusões são os grandes conflitos em relação à realidade, ao agir assim a pessoa não tem como viver a felicidade, porque está não consegue agir na realidade do indivíduo, porque a pessoa está no sonho. Só acordando para a realidade e agradecendo pelo que é real, valorizando o que é verdade e que demonstramos gratidão para que assim possamos ser felizes, com o que temos e não com o que ilusoriamente achamos que possuímos. Valorizar a ilusão em detrimento da realidade é também falta de ética, por ser um desrespeito à realidade.

A ética sempre considerou como sendo o “bem” o motivo propulsor de toda ação, pois toda a humanidade se criou tendo em vista sempre o bem. Com a perda dos valores éticos o bem ficou perdido e o mal tomou proporção considerada, motivo para o sofrimento que é o oposto da felicidade, que infelizmente se tornou parte da verdade e da realidade, oposta aos princípios éticos a que referi. Existe, portanto uma necessidade de inverter esse processo para que retomamos ao ponto onde desviamos do caminho evolutivo e entramos na involução social. Razão pelo qual estamos vivendo uma inversão de valores que corrompem a moral, desrespeito aos valores humanos e a cidadania. O conflito com a essência espiritual e forma mecanicista que a humanidade tomou como verdade gerou a separação, desunião e consequentemente contribuiu para o que vejo como sendo o resultado desse processo que é a solidão.

A moral é a favor do bem e a ética é a favor da felicidade, para que isso seja possível é necessário se ter consciência dos atos. Enquanto as pessoas estivem no ego dissonante, se colocarem na posição de vítimas, no sentido contra mim, ou usando do seu conhecimento para tirar vantagem, venha a mim e ao vosso reino nada, seja feita a minha vontade em detrimento da sua, usar a persuasão para enganar e ludibriar teremos a união pelo defeito, a cumplicidade do que tira vantagem do que não tem consciência. O poder pelo domínio sobre os inconscientes, o controle para que não desenvolvam consciência para que assim possa controlar e ter poder. É a falta de amor, repeito e responsabilidade pelas ações que corrompem a ética e a moral.

Ética é a ação visando o bem e o equilíbrio, no momento que uma ação gera desequilíbrio no outro, sem o seu consentimento, ou crie desequilíbrio na sociedade de uma forma geral, esta ética foi quebrada, além disso, temos a ética do respeito pela diversidade e pelo processo que cada indivíduo está passando e que corresponde a sua verdade. Temos que respeitar o processo de aprendizado de cada pessoa, somos todos iguais, não existe uma hierarquia, mas apenas diferença no gral de aprendizado, domínio, habilidades e talentos. Com a sabedoria não podemos, eticamente, nos prevalecer do conhecimento e usar para ferir, denegrir ou inferiorizar outro ser humano. Ética Normativa é a investigação racional, ou uma teoria, sobre os padrões do correto e incorreto, do bom e do mau, com respeito ao caráter e à conduta, que uma classe de indivíduos tem o dever de aceitar. Temos vários tipos de ética, mas em todas prevalece a honestidade, profissionalismo, respeito e idoneidade. A excelência nas atitudes e as virtudes, expressas nas ações, é de suma importância nesse sentido, ou seja, não se é ético sem ter hombridade. Não existe espiritualidade ou padrão de evolução sem ética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *